Crianças da nova geração – como lidar com elas?

Por.: Evelyse Eerola

pexels-photo-261895.jpeg

Elas são chamadas de crianças do novo milênio, crianças da nova era, da nova geração ou mesmo, crianças cristais pelos espiritualistas. Pais, médicos, professores… todos falam sobre como as crianças desta nova geração são incrivelmente precoces. No entanto, encontra-se muito pouca discussão em relação como pais e professores deveriam agir com estas crianças a fim de tirar o melhor deste imenso potencial que elas apresentam. Para educar corretamente estas crianças da nova geração, professores e pais necessitam reiventar novas fórmulas. Tanto para manter o interesse ativo como para prepará-las para serem adultos equilibrados e felizes.

Quando nós analisamos a dinâmica das novas gerações, geralmente estas têm a tendência de ser mais desenvolvidas do que a anterior, principalmente no que tange a tecnologias. Nós podemos ver como uma criança consegue lidar com um smart phone ou um computador melhor e mais rápido que nós. Na verdade, esta é uma geração de nativos digitais! Da mesma forma, lembramos como é ou foi difícil tentar ensinar nossos avós a usar o computador ou mesmo lidar com a velha secretária eletrônica.

Seria a tecnologia e seus constantes avanços a responsável por estas crianças super inteligentes? Talvez alguma memória acumulada do passado de gerações que, de alguma forma, tenha alternado células do cérebro e suas sinapses, mesmo antes deles nascerem? Na verdade, este desenvolvimento acelerado não é só em relação ao desenvolvimento intelectual, mas também físico e neuromotor.

Talvez você se lembre quando a sua avó comentava que em sua época os bebês demoravam geralmente três dias para abrir os olhos e cerca de uma semana para começar a mexer a cabecinha para os lados.

Hoje, médicos pediatras testemunham que crianças desta nova geração possuem um desenvolvimento precoce da sua coordenação motora e começam a ficar alertas muito mais rápido, comparadas com as gerações anteriores e, por vezes, comparadas até com os seus irmãos mais velhos.

Algumas pesquisas têm sido realizadas em relação a isto, mas nada conclusivo ainda. Uma destas foi desenvolvida pelo centro médico de Cornell em Nova Yorque, onde pesquisadores analisaram três grupos diferentes de bebês, em relação as suas habilidades motoras, qualidade de movimento e reflexos neurológicos. Os bebês foram testados em diferentes idades: 3, 6, 9 e 12 meses após o nascimento. Vários eram os objetivos da pesquisa, mas resumindo, entre o grupo de bebês saudáveis, a maioria mostrou-se acima da média na categoria neuromotor. Em outras palavras, através de testes foi conluído que o desenvolvimento precoce está se tornando uma característica a todas as crianças saudáveis desta nova geração e não mais uma exceção.

Infelizmente, a maioria destas pesquisas se concentram em problemas ou síndromes que afetam o sistema neuromotor. É extremamente difícil encontrarmos uma pesquisa mais aprofundada sobre o desenvlvimento precoce nesta área e suas causas.

Em relação aos pais

Toda esta rápida evolução social e tecnológica, logicamente tem produzido uma nova geração de pais também. Antigamente, quando você saía para um fim de semana com os seus amigos, sua mãe dizia aquela famosa frase: Não esqueça de levar um casaquinho!

Hoje, as mães dizem: não esqueça o carregador do celular! Isto reflete as mudanças de paradigmas do que é mais importante hoje em nossa sociedade.

Se você der uma pesquisada na Internet sobre os pais de hoje em dia, você vai encontrar diferentes designações e diferentes modos de educação ou, não educação!. A maioria dos artigos critica ferozmente os pais da nova geração, onde acertar é exceção. Parece que esta nova geração de pais está completamente perdida entre o rápido avanço da sociedade, o materialismo, a culpa, a tecnologia e suas crianças prodígios. Logicamente não é uma tarefa fácil saber como dar uma educação que forme adultos equilibrados no futuro para as crianças desta nova geração.

Aqui vão algumas dicas:

Disciplina

Para início de conversa, esta nova geração precisa de limites. Sim, eu sei que os pedagogos de hoje em dia abominan a palavra disciplina e consideram-a como parte de uma educação antiga e tradicional. No entanto, estas crianças são muito espertas e podem facilmente manipular os pais. Elas têm um enorme potencial de aprendizado, mas elas ainda não sabem como canalizar estas habilidades. Por esta razão, elas precisam de uma disciplina forte, porém justa. Você pode disciplinar seu filho sem ser um tirano, isto é completamente possível. Neste processo, pais precisam atuar mais como professores.

Este era um assunto recorrente quando eu era professora em Helsinque. Era parte do meu trabalho orientar os pais também, principalmente os mais jovens. Disciplina não significa falta de diálogo, pelo contrário, deve ser a porta para tal. Pais podem estabelecer a rotina e regras da casa juntamente com as crianças, mesmo com os pequenos, fazendo com que eles sejam parte do processo. Esta nova geração não aceita o ”porque sim” ou ”porque não”, mas eles possuem sim a capacidade de compreensão se é lhes dada a chance do diálogo.

Outra questão é o choro. A maioria dos pais e, principalmente os avós, se deixam sensibilizar quando uma criança chora. O choro é a forma das crianças se comunicarem, principalmente as pequenas. Elas não têm o controle das emoções ainda desenvolvido como nós e é a maneira delas se expressarem ao mundo. Isto é normal e nós precisamos compreender que quando uma criança se sente frustrada ela irá chorar!! O melhor conselho é: deixe a sua criança chorar! Não faça exceções ou volte atrás nas suas decisões por causa do choro. O choro é um direito da criança, por mais que isto incomode. Pesquisas mostram que as crianças que mais choram são aquelas que os pais mais mimam, significando que é um ciclo vicioso, ela aprende que chorando ganahará algo.

Deixe seu filho chorar, após tenha um diálogo construtivo com a criança, abrace, deixe claro que você pode não ter gostado de alguma atitude dele, mas que você continua amando-o muito. Tentar evitar a frustração de uma criança é a pior coisa que você pode fazer pelo seu futuro. Acredite-me, você estará contribuíndo para um adolescente e adulto fraco e deprimido. Disciplina e diálogo são os segredos para uma boa educação.

Incentivo à sensibilidade

Segundo a teoria das múltiplas inteligências de Gardner, consta que possuímos a inteligência musical, interpessoal e naturalista entre outras e, todas teriam suas origens genéticas. Portanto, podemos deduzir que algumas inteligências podem estar adormecidas e outras podem ser ativadas nesta nova geração.

O retorno, ou a busca à sensibilidade é muito importante e tem sido esquecido pelos pais da atualidade. Nós precisamos de uma pausa deste mundo competitivo. Durante muitos anos só uma parte da inteligência foi estimulada, porém nossas crianças já nascem com as outras também desenvolvidas. É importante os pais não tentarem construir o futuro dos seus filhos com base nas suas próprias experiências: bons cursos, melhores colégios, melhor universidade, mestrado, doutorado, ser competitivo, pró ativo e pior de todos: ser o melhor!

Segundo as pesquisas de Gardner, não há uma competência intelectual mais importante que as outras e todas devem ser estimuldas. Coloque o seu filho mais em contato com as artes, com a natureza e animais. Deixe eles escolherem o que mais lhes aprecia, não force! Se não for matemática, tudo bem. Ser o melhor aluno na escola não garante um bom futuro para ninguém.

Por favor, esqueçam as competições, estimule a criança a dançar, atuar, pintar, cantar ou mesmo fazer algum esporte, mas pela satisfação, não pela competição. Esta geração de jovens já bateu todos os recordes de depressão porque existe a sensação que eles nunca são bons o bastante. O futuro nos mostra que precisaremos de adultos mais sensíveis e empáticos.

Regule o tempo deles em frente ao computador ou jogos, especialmente os violentos. Estes avanços na tecnologia são benéficos e eles têm que ter esta habilidade desenvolvida para o futuro, sem dúvida, mas tem que haver um controle na infância. Dê mais qualidade de tempo com seu filho e com sua família. Nenhum video game pode substituir você!

Os professores

Como professora, eu tive oportunidade de trabalhar com estas crianças. As crianças da nova geração são super inteligentes e rápidas e se os professores souberem como lidar com elas, podem fazer um excelente trabalho e obter ótimos resultados. No entanto, uma coisa é certa: você não pode navegar por novas terras com velhos mapas!

Estas crianças precisam ser desafiadas. Se você está em frente a uma turma de crianças espertas e curiosas por aprender coisas novas…então você faz o seguinte: você pede a elas que abram o livro no próximo capítulo e leiam em silêncio a lição que após, você explicará em monólogo. Você simplesmente reproduz a forma de ensino da sua velha professora. No final do dia você reclama aos seus colegas que as crianças são desinteressadas e não querem aprender.

Alguns professores simplesmente podem matar o desejo destas crianças de aprenderem. A questão é que esta nova geração está a 100Km/h e a escola vai a 20km/h. Professores precisam rever suas práticas e a escola também.

Novamente a disicplina e o diálogo são importantes ferramentas. O professor precisa abrir o diálogo e construir junto com os alunos as regras. Isto se faz muito aqui na Finlândia, desde a educação infantil. Isto estabelecerá uma boa base para o início das atividades. As crianças se sentem comprometidas com os acordos e os distúrbios em aula diminuem sensivelmente.

Pesquisas feitas em escolas de áreas de risco nos Estados Unidos, mostraram que os alunos apresentavam um melhor rendimento quando a escola aplicava a disciplina não punitiva juntamente com o diálogo. Pais, professores e comunidade sentiram a diferença. Os americanos chamam de disicplina positiva e ficou provado que os alunos se sentim mais seguros quando existiam regras claras, frutos de uma construção conjunta.

Neste caso, trabalha-se a sensibilidade também. Educadores têm esquecido a parte emocional dos alunos, principalmente em escolas de áreas de risco. No entanto, esta pode não ser a melhor, mas com certeza, é uma das melhores soluções para um ensino efetivo – disciplina, diálogo e um bom plano de aula.

Concluíndo, pais e professores precisam de uma abordagem diferente para lidar com esta nova geração. Pais precisam ser mais presentes, abertos ao diálogo e entender que criança mimada é um candidato a um adulto depressivo.

Para educadores e escola, é sugerido uma revisão de suas práticas e envolvimento. Nós precisamos ver os alunos como indivíduos e trabalhar também a sua parte emocional. Para as escolas particulares, não vejam seus alunos somente como clientes.

Pink Floyd já dizia que os professores eram somente mais um tijolo na parede e que as crianças não queriam o mesmo. Professores, não sejam apenas mais um tijolo na parede! Vamos quebrar esta parede!

Aqui algumas referências que me foram de grande ajuda:

Banda Inglesa Pink Floyd, Álbum The wall – 1979: música: Another Brick in the wall
http://positiveschooldiscipline.promoteprevent.org/what-positive-school-discipline
https://www.air.org/resource/social-and-emotional-learning-creating-supportive-learningenvironments
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3872422/
https://www.forbes.com/sites/marymeehan/2016/08/11/the-next-generation-what-matters-to-genwe/#7877d32a7350
Gorga D, Stern FM, Ross G, Nagler W. 1988. Neuromotor development of preterm and full-term infants. Early Hum Dev. 18 (2-3):137-49.

 

Este artigo foi escrito como contribuição para o Blog: Helenduc – painel colaborativo
https://heleduc.blogspot.fi/

Comentários
Helena NotoHelena Noto Evelyse Eerola, obrigada você pela consideração e pelo belíssimo texto.
Fabiana ReisFabiana Reis Muito bom texto obrigada

Vanda BisiVanda Bisi ÓTIMO TEXTO. CONCORDO, FALTA DISCIPLINA E MUIIIIITO DIÁLOGO, TANTO DOS PAIS COMO DOS PROFESSORES. NINGUÉM CONVERSA MAIS, ASSIM CARA A CARA, E DEPOIS DAQUELE BATE PAPO FINALIZA COM UM BOM ABRAÇO.

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s